|

Ex-prefeita de Ribeirão Preto, acusada de desvio de R$ 45 mi, é presa

A ex-prefeita de Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo) Dárcy Vera (PSD) foi presa no início da manhã desta sexta-feira (19), um dia após decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça) que revogou uma liminar que a mantinha em liberdade provisória.

A ex-prefeita (2009-16) tinha sido presa preventivamente em 2 de dezembro, na segunda fase da Operação Sevandija, do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), que investiga fraudes em contratos de licitações da prefeitura que somam ao menos R$ 203 milhões.

Dárcy foi presa em sua casa, no bairro Ribeirânia, e encaminhada à sede da PF (Polícia Federal) na cidade. Deixou o imóvel com sua advogada de defesa, Maria Claudia Seixas. Ela deve ser transferida para a penitenciária de Tremembé, onde estava até obter, em 13 de dezembro, a liminar no STJ que a deixou em liberdade provisória até esta sexta-feira (19).

O STJ informou que a 6ª Turma revogou a liminar por quatro votos a um na quinta (18). “Para os ministros, é concreto o receio de que haja movimentação, dissipação ou ocultação dos valores que se quer recuperar. Apesar de já ter sido destituída do cargo, por sua notória influência regional, a ex-prefeita ainda pode obstaculizar a investigação”, diz trecho de nota do STJ.

Além de Dárcy Vera, a PF está cumprindo outros seis mandados de prisão preventiva expedidos pela Quarta Vara Criminal de Ribeirão Preto.

Dois deles envolvem investigados pela Sevandija que já estão presas: o ex-secretário da Administração Marco Antônio dos Santos e o advogado Sandro Rovani, ex-defensor do Sindicato dos Servidores Municipais.

O ex-superintendente da Coderp (companhia de desenvolvimento) Davi Mansur Cury se apresentou espontaneamente à PF ainda na madrugada desta sexta (19).

Já o ex-secretário da Educação, Ângelo Invernizzi, e Maria Lucia Pandolfo, ex-funcionária da Coderp, foram presos em suas casas. O ex-secretário Layr Luchesi Junior é considerado foragido.

OUTRO LADO

A advogada de Dárcy Vera, Maria Cláudia Seixas, sempre afirmou que a ex-prefeita não é culpada das acusações feitas contra ela e conseguirá provar isso. De acordo com a advogada, Dárcy “não se furtou a nenhum tipo de esclarecimento”.

As defesas dos outros envolvidos na operação Sevandija também têm afirmado que seus clientes são inocentes. Com informações da Folhapress.



Deixe um comentário

Real Time Web Analytics